À caça de números que estejam em domínio público




Números - Imagem da Corbis RFHá um sem número de situações em que sentimos necessidade de procurar na internet os números que nos permitam satisfazer a nossa curiosidade profissional e pessoal mas nem sempre é fácil chegar à informação.

Muitas vezes a informação existe, está disponível, em muitos casos de forma gratuita, mas está também muito bem escondida, relegada para uma base de dados ou ligação que tem pouca afinidade com o Google ou com outros motores de busca que costumamos usar. Afinal, onde estão os números?

Neste espaço, procuraremos destacar algumas das fontes de informação estatística, de preferência gratuitas e também preferencialmente (ainda que não exclusivamente) sobre o mundo que fala em português.

Por outro lado, vamos desafiar os leitores a enviarem-nos pedidos de informação, ou melhor, pedir-lhes que nos comuniquem de dados precisam e estão a ter dificuldades em obter. Em devido tempo, procuraremos também nós tomar essas dores e ir em busca desses dados, testemunhando por aqui, em público, se tivemos sucesso e o que descobrimos. E, claro, tentaremos dessa forma que outros, que tenham já passado por esse caminho com mais sucesso deixem aqui as dicas e conselhos que possam servir a outrem. Para isso lançámos o Fórum de modo a permitir algum trabalho comunitário, se assim entenderem.

É bem possível que façamos também o destaque de notícias ou artigos mais ou menos académicos que girem em torno de informação quantitativa, o que, sendo certo que nos poderia levar a falar de quase tudo, será essencialmente pretexto para, pelo menos no início, dar algum dinamismo a este espaço e, também, procurar ir aos bastidores das notícias e dos números, tentando identificar as fontes e deixando algum comentário sempre que possível.

E claro, sempre que surgir a oportunidade abordaremos algumas curiosidades sobre os números e sobre a utilização da informação estatística, ou sobre os problemas e desafios que são colocados a quem produz e pretende utilizar a informação.

De momento, são estas as coordenadas iniciais deste projecto, sediado na internet e que a usará como recurso essencial.

Humildemente nos colocamos ao dispor, sem compromisso, mas de forma empenhada, apenas limitados pelas capacidades pessoais e pela disponibilidade inerente, para já, a uma ocupação de tempos livres que será este “Onde estão os Números?” inserido na micro rede do Economia & Finanças.

2 de Janeiro de 2010

02/01/2010 Arquivado em Editorial - Continue a ler



5 comentários a “À caça de números que estejam em domínio público”

  1. José Costa diz:

    Antes de tudo, minhas cordiais saudações.
    Li o artigo supra enunciado, e fiquei algo cativado para a ideia que está subjacente. Evidente se torna, que será no desenvolvimento e aceitação que se poderá vir a aferir de sua implantação, que, quero acreditar que vai ser boa. Porém, deixo a minha análise simples e sucinta do que me deixa transparecer mais esta iniciativa de criar uma área de intercomunicação de abrangência de um grande número, quero acreditar, de temas que poderão sempre enriquecer quem neles interaja.
    O que me constrange, e de certo modo me entristece, é a componente de terminologia de caris (inglês) que se exibe, sei que é correcta concerteza, mas limita muito, quem como eu, tem rudimentares conhecimentos dessa língua.
    Dada talvez minha fixa etária, e minha falta de preparação académica, é óbvio que isso se torna para mim um grande obstáculo. Mas também, quem sou eu para estar e meter minha colher em assuntos que me ultrapassam? No entanto, quero crer, e tenho conhecimento de alguns casos concretos, de quem acusa as mesmas dificuldades. Ainda se à frente de cada uma dessas expressões ou termos, entre parênteses, constasse a respectiva tradução, talvez ajudasse quem como eu se defronta com tais dificuldades. Reconheço que é um sinal de progresso cultural talvez, a utilização de termos estrangeiros à mistura com os da nossa língua genuína, mas, chamem-me “velho do Restelo” se quiserem, tenho dificuldade em aceitar essa promiscuidade. E não acho solidamente pertinente a desculpa de que muitos desses termos não têm tradução, ou que essa tradução altera a sua significação. Será mais uma questão de ver as coisas pelo prisma da inteligência e fazer a transmutação adequada.
    Um abraço com desejos de bom êxito, e um bom ano de 2010.

  2. José Costa diz:

    É so para esclarecer, pois poderá causar até estranhesa o meu comentário. É que ele se direcciona mais para o constante título a seguir transcrito que abri e estive a tentar decifrar.

    Related posts brought to you by Yet Another Related Posts Plugin

  3. Jorge diz:

    Muito interessante. Vou aproveitar já para deixar uma questão no fórum.

  4. RuyWeb diz:

    O comentário é muito pertinente José Costa. QUando montámos o blogue tentámos traduzir para português tudo o que nos era possível atendendo aos nossos conhecimento de codificação pois é necessário intervir junto dos programas que instalámos. Infelizmente não temos condições para passar para português todas as ferramentas que disponibilizamos. Note que se tratam de peças disponibilizadas gratuitamente na internet, desenvolvidas quase sempre em inglês. Faremos o melhor que pudermos, em todo o caso, pudemos sempre traduzir caso a casa respondendo Às perguntas que possam enviar. Por exemplo: “Related posts brought to you by Yet Another Related Posts Plugin” é um linha de promoção de uma das ferramentas que instalamos (um Plugin) que se chama precisamente ” Yet Another Related Posts Plugin” e que permite associar (À medida que os conteúdos do blogue forem surgindo) textos que se refiram a temas similares. Vamos ver se conseguimos passar esta frase para português. Obrigado pelo seu comentários!

  5. PedroF diz:

    Se ajudar, o Demografias (http://demografias.blogspot.com) tentou compilar alguns dados estatísticos sobre Portugal há alguns anitos…
    Ab

Deixe um comentário