Taxa de emprego no Brasil – 2003 a 2009




IBGE - BrasilO IBGE divulgou hoje a série cronológica (aceder aqui em formato PDF) que faz a retrospetiva da população ocupada (empregada) e desocupada (desempregada) para o período entre 2003 e 2009. A área de enfoque desta informação estatística compreendeu as áreas metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

O IBGE (ver resumo) identificou significativas quebras na população desocupada em todas as regiões ao longo do período de 7 anos: mais modestas na área do Rio de Janeiro (8%) mais expressivas em Belo Horizonte (24,2%).

Algumas frases chave destacadas pelo IBGE:

  • Em sete anos, média anual da população desocupada caiu 28,2%
  • Participação das mulheres na população ocupada teve crescimento contínuo
  • Participação dos trabalhadores com 11 anos ou mais de estudo na força de trabalho sobe de 46,7% para 57,5%
  • Em 2009, 66,8% dos trabalhadores contribuíam para a previdência, contra 61,2% em 2003
  • Serviços prestados a empresas foi o agrupamento de atividade com maior crescimento: 30,6%
  • Em sete anos, contingente médio anual da população desocupada reduziu-se em 28,2%
  • Em 2009, a taxa de desocupação média anual ficou em 8,1%
  • De 2003 a 2009, a média anual do rendimento real dos trabalhadores cresceu 14,3%
  • Rendimento médio real das trabalhadoras representa pouco mais de 70% do dos homens
  • Média anual dos rendimentos dos trabalhadores pretos ou pardos cresceu mais que a dos brancos

Na publicação detalhada produzida pelo IBGE (que, diga-se, na versão consultada, merecia maior cuidado de edição) encontram-se dados e análises para o período de 2003 a 2009 sobre:

  • População em Idade Ativa
  • População Ocupada
  • População Desocupada
  • Taxa de Desocupação
  • População Não Economicamente Ativa
  • Rendimento



Deixe um comentário