Siga a rede Economia & Finanças no Twitter

Evolução das despesas de Saúde em Portugal entre 2000 e 2008

O INE português completou recentemente a conta satélite da Saúde, um exercício de contas nacionais que detalha informação sobre o sistema de saúde português. Segundo o INE:


“(…) Entre 2000 e 2008, a despesa total em saúde aumentou, em termos nominais, 4,9% por ano, o que compara com um crescimento médio anual do PIB em valor de 3,9%. (…) Este comportamento foi basicamente determinado pela despesa corrente em saúde que aumentou em média anual, no mesmo período, 5,2%.Entre 2000 e 2008, a despesa total em saúde aumentou,(…), atingindo 17 287 milhões de Euros em 2008, o que correspondeu a cerca de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) e a uma despesa per capita de 1 627,4 Euros. Nos anos 2006 e 2008, a despesa cresceu de forma menos intensa, registando-se aumentos nominais de 1,0% e 2,2%, respectivamente.
A despesa total em saúde compreende a despesa corrente em saúde e a formação bruta de capital dos prestadores de cuidados de saúde. A primeira componente teve um peso dominante superior a 92% da despesa total em todos os anos do período em análise, crescente entre 2000 e 2005, em que representou 94,6% da despesa total, baixando nos dois anos seguintes para 93,6% e retomando em 2008 o peso relativo de 2005. (…)

A despesa corrente foi maioritariamente financiada por entidades das Administrações Públicas, com realce parao Serviço Nacional de Saúde, representando a despesa pública corrente, em média cerca de 68,2% entre 2000 e2008. No entanto, ao longo desse período, manifestou-se uma tendência decrescente do peso relativo dadespesa pública, que se cifrou em 65,6% do total da despesa corrente em 2008, com o consequente aumento da despesa financiada por entidades privadas, com realce para as famílias. (…)”

O INE divulga alguns dados estatísticos  aqui e a versão completa da Conta Satélite aqui.

Comments

So empty here ... leave a comment!

Deixar uma resposta

Sidebar