Arquivo para a “Dados Demográficos” Category




SEFSTAT – Estatísticas sobre a imigração em Portugal 2000 a 2011

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras português iniciou há vários anos uma parceria com o Instituto Nacional de Estatística no sentido de melhorar os procedimentos estatísticas e, em última análise, melhorar a qualidade das estat´siticas sobre a população estrangeira residnete em Portugal. O SEFSTAT  um sítio do SEF dedicado à divulgação da informação estatística terá ido beber de forma importante a esse trabalho de anos de cooperação e apresenta-se hoje como um referencial para a informação sobre imigração em Portugal.  Continuando a ser um desafio complicado de abordar, a recolha de estatísticas por parte do SEF terá caminhado no bom sentido quando comparada com o cenário existente há 10, 20 ou 30 anos atrás.

Além de apresentarmos o SEFSTAT deixamos nota para a difusão da mais recente publicação o relatório estatístico anula relativo ao ano 2011, anunciado já pelos media e que, após um breve embargo, deverá ser disponibilizado nas páginas do SEFSTAT.




Estudo: “A procura de emprego dos diplomados com habilitação superior – 2010 ” – GPEARI

O Ministério das Finanças português através do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (GPEARI) desenvolveu um estudo estatisticamente extenso sobre a empregabilidade dos cursos superiores portugueses recolhendo informação histórica e recente, até Dezembro de 2009. Como sub-produto nada desprezível deste estudo, o GPEARI está a disponibilizar no seu sítio na internet um conjunto muito significativo de quadros e tabelas (em formato Excel – cerca de 5MB – Clique para descarregar) contendo informação que vai desde a apresentação dos dadso de enquadramento (população residente com curso superior ao nível de NUTS 4 – concelhos) até a variadíssimos detalhes para o desemprego, incluindo as associações com os pares curso superior/estabelecimento de ensino. O estudo chama-se “A procura de emprego dos diplomados com habilitação superior – 2010″ e é já o relatório VI sobre o tema (clique para aceder).

Na página dedicada ao estudo poderá ainda extrair a informação estatística usada na última edição bem como aceder aos relatórios anteriores.

Eis um resumo da apresentação do estudo tal como se pode ler na página do GPEARI:

“Este relatório, o sexto da série, incide sobre os inscritos nos centros de emprego com habilitação superior, em Dezembro de 2009. O documento, para além de um capítulo inicial de apresentação e de síntese das principais conclusões, organiza-se em duas partes principais.

A primeira parte, caracteriza os inscritos nos centros de emprego com habilitação superior na situação de procura de emprego por comparação, quer com a situação global de procura de emprego, quer com a situação de procura de emprego dos inscritos com habilitação superior observada no mês homólogo do ano anterior (Dezembro de 2008).

A segunda parte do relatório caracteriza os inscritos nos centros de emprego com habilitação superior em Dezembro de 2009 por subsistema de ensino, área de estudo, par estabelecimento/curso e ano de conclusão do grau. Incluem-se ainda, nesta parte, dados sobre os diplomados por instituições de ensino superior para o período de 1998-1999 a 2007‑2008.”




Estatísticas da população nos países da União Europeia+8 em 2010

O Eurostat acaba de divulgar as estimativas da população, por país, no seio da União Europeia (mais 8 países) em 2010. O documento com o título “European demography – EU27 population 502.5 million at 1 January 2011 – More than 5 million children born in the EU27 in 2010” apresenta informação individualizada relativa a nascimentos, mortos, saldo natural (mortes menos nascimentos), saldo migratório e população total bem como as variações entre 2009 e 2010 medidas em permilagem.

Identificam-se 8 países de entre os 35 analisados com saldos naturais negativos, entre os quais Portugal e outros 8 países onde o saldo migratório é negativo. Quanto à população global regista-se uma redução da população em 7 países sendo Portugal um deles ainda que com uma variação marginalmente negativa.

A Turquia, a França, Reino Unido e a Espanha foram, por esta ordem, os países que mais cresceram em termos absolutos por via do saldo natural. Já quanto ao influxo positivo por via migratória, a Turquia, a Itália, o Reino Unido e a Alemamha ocuparam o topo da atratibilidade em termos absolutos.

Considerando a informação em termos relativos (variações em permilagem da população residente em 2009) o cenário é distinto. Neste caso, em termos de variação positiva do saldo natural, destacam-se a Turquia, a Irlanda e a Islândia. Quanto à variação relativa no saldo migratório, foi mais elevada no Luxemburgo, Noruega e Suiça.

Com sinal francamente negativo, em termos de evolução do saldo natural, temos a Letónia, a Bulgária e a Hungria, enquanto que nas variações negativa mais relevantes no saldo migratório, em termos relativos, destacam-se a Lituânia, a Irlanda e a Islândia.

Em termos globais, os três países com as maiores variações populacionais entre 2009 e 2010 foram: o Luxemburgo, a Turquia e a Noruega. Em Portugal, o saldo migratório positivo compensou na quase totalidade o saldo natural negativo.

Uma nota adicional para a Alemanha: a maior economia da União Europeia registou uma perda líquida de residentes por via de um saldo natural negativo (-180 mil habitantes) que um saldo migratório positivo apenas parcialmente compensou (+130 mil habitantes).

29/07/2011 Arquivado em: Dados Demográficos   Continue a ler



OpenAIRE – plataforma europeia de acesso a trabalhos de investigação multidisciplinares

Acreditando que poderá interessar ao público que segue o “Onde estão os números” destacamos esta novidade com a qual tivemos contacto através do Portal do Cidadão (do Governo Português) e a qual encontrou aplicados implementadores na Universidade do Minho. Eis o que se lê no Portal do Cidadão sobre o assunto:

“A Comissão Europeia (CE) lançou o OpenAIRE, uma plataforma de acesso aberto para a investigação na Europa, que permite a investigadores, empresas e cidadãos aceder online aos documentos sobre a investigação científica financiada pela União Europeia (UE).

Lançada pela CE, no passado dia 3 de Dezembro, esta base de dados disponibiliza trabalhos de cientistas nos domínios da saúde, energia, ambiente, tecnologias da informação e da comunicação e das infra-estruturas de investigação, ciências sociais e humanas e ciência na sociedade.

O livre acesso aos documentos científicos possibilitado por esta plataforma permitirá, por exemplo, que “as pessoas com doenças raras tenham acesso aos resultados mais recentes da investigação médica ou que os cientistas obtenham informação actualizada em tempo real sobre os progressos realizados nos seus domínios”.”

Se a OpenAIREOpen Access  Infrastructure for Research in Europe – conseguir traduzir na prática aquilo a que se propõe, poderá ser um peça fulcral no avanço científico e na disseminação do conhecimento apreendido. Vamos estar atentos.




Brasil regista a mais alta esperança de vida ao nascer de sempre: 73,17 anos

É um recorde que tem vindo a ser superado sucessivamente nos últimos anos. Segundo o IBGE, desde 1980, a esperança de vida ao nascer tem vindo a aumentar em média 4 meses e 12 dias em cada ano que passa tendo subido de 62,57 anos em 1980 para 73,17 anos em 2009. Já a moralidade infantil, caiu de 69,12 para 22,47 óbitos por mil nascidos vivos, no mesmo período.

Estes são alguns dados recentemente divulgados com as Tábuas Completas de Mortalidade – 2009 brasileiras.

03/12/2010 Arquivado em: Dados Demográficos   Continue a ler



Esperança de vida aos 65 anos continua a aumentar em Portugal

O INE – Portugal divulgou recentemente os dados parciais relativos à tábua de mortalidade. Em concreto ficámos a conhecer a esperança de vida aos 65 anos apurada para o triénio 2008-2010: 18,47 anos que compara com 18,19 anos registados no triénio terminado em 2009. Este indicador é determinante para o apuramento do factor de sustentabilidade das pensões, necessário para o cálculo de pensões, penalizações por reforma antecipada e outras contas relativa às reformas e pensões em Portugal. Com este indicador de 2008 a 2010, os portugueses com idade para se reformarem passarão a ter de trabalhar mais pelo menos 4 meses para garantirem que não sejam penalizados na reforma.

02/12/2010 Arquivado em: Dados Demográficos   Continue a ler



PORDATA alarga âmbito de dados estatísticos a outros países europeus

Em Fevereiro surgia o Pordata – Base de Dados sobre Portugal Contemporâneo um genuíno serviço público prestado por uma jovem fundação privada (a Fundação Francisco Manuel dos Santos) que se revelou (e revela sucessivamente) como uma lufada de ar fresco na compilação e difusão de informação estatística sobre Portugal. Esta semana o desafio imposto aos gestores do projecto foi significativamente incrementado: o Pordata começou já a compilar e divulgar informação estatística de âmbito europeu, tendo por referência a União Europeia.

Definitivamente este é um projecto a acompanhar assiduamente.




Censo brasileiro 2010 em marcha

Eis um excerto das expectativas e indicações de identificação dos recenseadores brasileiros que se pode ler no Portal do IBGE:

“O Censo 2010 mostrará um país mais escolarizado, mais inserido no mundo digital, mais envelhecido, com nível de renda melhor, com padrões mais difundidos de acesso aos produtos de consumo, com novas estruturas familiares e com a crescente presença da mulher no mercado de trabalho e no ensino superior. Esse é o retrato que vamos registrar”, afirma o presidente do IBGE, Eduardo Pereira Nunes, avaliando as transformações pelas quais o Brasil passou na última década.

Para conseguir tirar essa fotografia mais nítida possível dos brasileiros e de suas condições de vida, o IBGE conta, acima de tudo, com a colaboração da população, que deve receber bem o recenseador e responder o questionário corretamente.

Um país que conhece a si mesmo só tem a ganhar.

Ao longo das próximas semanas, e até 31 de outubro, cada domicílio brasileiro receberá a visita de um recenseador do IBGE. É a partir das informações coletadas por eles que o Brasil poderá se planejar para os próximos dez anos: elas ajudarão a definir políticas públicas em níveis nacional, estadual e municipal, além de auxiliar a iniciativa privada a tomar decisões sobre investimentos.

Cada um dos 191.972 recenseadores poderá ser identificado pelo seu uniforme – colete e boné, com logotipo do Censo -, pelo equipamento eletrônico de coleta de dados (PDA) e por um crachá visível no bolso do colete, com nome, número de matrícula e foto. Essa identidade poderá ser confirmada por meio de ligação gratuita para o telefone 0800-7218181, das 8h às 22h, e pelo site do IBGE na Internet, no link www.censo2010.ibge.gov.br/recenseadores.php. (…)”

04/08/2010 Arquivado em: Dados Demográficos   Continue a ler



SEFSTAT com dados de 1980 a 2010 – o novo serviço de estatísticas sobre imigrantes do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras português (SEF) construi um serviço online para difundir as estatísticas sobre os movimentos migratórios (incluindo que afectam portugal. Chamaram-lhe SEFSTAT e agrega informação estatística desde 1980. Alem do acervo histórico há ainda informação organizada por distritos e um repositório de todos os relatórios estatísticos desde 2000 até à actualidade. Segundo o SEF, em 2009 residiam legalmente em Portugal pouco mais de 450 mil indivíduos com outras naturalidades.

Sendo certo que se trata de informação útil é também inegável que a qualidade da informação estatística disponibilizada não é igual, sendo claramente superior e mais fiável desde meados da primeira década de 2000, após o SEF ter passado a cooperar de forma mais próxima com o INE que instituiu um conjunto de princípios de recolha e actualização de dados que, naturalmente, não eram devidamente seguidos numa instituição à altura pouco sensível à recolha estatística.

Este é assim mais um passo importante na difusão de informação de interesse público, dados que poderemos cruzar com particular interesse quando ocorrer a próximo operação censitária em Portugal.

05/07/2010 Arquivado em: Dados Demográficos   Continue a ler



SIG Brasil – Nova forma de conhecer e planear o país-continente

O IBGE divulgou hoje detalhes sobre a divulgação na internet de informação georeferênciada à escala federal e local, uma iniciativa dinamizada por várias instituições sob o signo da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais (INDE)*. O sítio de referência é www.inde.gov.br e os objectivos são ambiciosos mas tudo parece bem encaminhado para potenciar esta forma enriquecida de exploração de informação. Eis um excerto da nota de imprensa:

” (…)Decisões sobre planejamento e gestão de recursos, bem como a elaboração de políticas públicas e privadas, serão facilitadas com a implantação da Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais – INDE, à qual os usuários terão acesso através de um portal na Internet, o SIG Brasil. Inicialmente, o portal integrará os dados geoespaciais de instituições federais do governo brasileiro e permitirá a visualização e o acesso das informações, viabilizando inclusive mesclar informações geoespaciais no ambiente da Internet. Ao longo da próxima década, outras organizações nacionais – por exemplo, dos níveis estaduais e municipais – poderão vincular-se à INDE. (…)”

Mas mais que as intenções pode desde já “brincar” com a informação já disponibilizada no Portal, nomeadamente, o visualizador de mapas.

Page 1 of 212